Millôr Fernandes e sua obra gráfica em exposição no IMS

Millôr Fernandes (1923-2012) foi um dos maiores artistas brasileiros do século XX e fez da imprensa seu ateliê, construindo diante dos olhos dos brasileiros uma obra rara, em que sua complexidade jamais abriu mão de uma comunicação direta com o público. Foi desenhista, humorista, dramaturgo, escritor, poeta e jornalista e, durante a ditadura militar, fundou o memorável jornal “O Pasquim”, com textos ácidos, ilustrações debochadas e personagens inesquecíveis. Além disso, colaborou com a revista Veja e com o Jornal do Brasil.

millor2.png

No teatro, destacou-se como autor e como tradutor de diversas obras, entre elas, a peça escrita por ele “Liberdade, Liberdade”, que foi uma das pioneiras do teatro de resistência à ditadura Militar, encenada em 1965. Como tradutor, Millôr se consagrou como um dos mais importantes e colaborou com centenas de peças, como “Rei Lear”, de William Shakespeare, “As Lágrimas Amargas de Petra von Kant”, de Fassbinder, além do musical “Chorus Line”, de James Kirkwood e Nicholas Dante.

millor3.png

Todo grande artista possui suas referências e autores que admira, no caso de Millôr, Saul Steinberg (1914-1999), um romeno naturalizado norte-americano e um dos mais importantes artistas do século XX, foi um de seus grandes exemplos. Para Daniel Bueno, professor de especialização em Ilustração da EBAC, pesquisador da obra de Steinberg e entusiasta do trabalho do cartunista, Millôr é representante do desenho e do cartum moderno, pautado pela valorização da ideia, pelo uso de elementos gráficos e apostava no traço despojado. “Ao contrário de Saul, que se dizia “escritor” no sentido intelectual do termo, Millôr se notabilizou pela síntese do cartum mudo”.

millor5.png

Bueno destaca ainda a importância da obra do multifacetado cartunista como referência para artistas de qualquer campo criativo e comenta que é essencial ter um posicionamento e exprimir uma ideia, independente de sua área de atuação. “Livre de categorias e afeito à liberdade que conquistou desde o início de sua carreira - e da qual nunca abriu mão -, Millôr mostra como sua ousadia e coragem é requisito fundamental para provocar e conquistar o público”.

millor4.png

Para os interessados em conhecer um pouco mais sobre a obra de Millôr, o Instituto Moreira Salles (IMS) está com a exposição: Millôr: obra gráfica, que ficará em cartaz até janeiro de 2019, na Av. Paulista, 2424, com entrada gratuita. Por ocasião da exposição, o IMS convidou Daniel Bueno para ministrar o curso Millôr Desenhista: trajetória e contexto, que abordará a produção gráfica, detalhando sua trajetória como cartunista, ilustrador e desenhista, e relacionando sua obra ao contexto histórico e à produção das artes gráficas de seu tempo.