Exposição reúne trabalhos finais do curso de Técnicas de Desenho e Ilustração

No dia 15 de dezembro, a sala Art Studio, da EBAC, recebe 160 trabalhos dos alunos do curso de Técnicas de Desenho e Ilustração. Todos os estudantes são iniciantes no desenho. A coordenadora do curso, Renata Pedrosa, destaca que estarão expostos os trabalhos mais bem-sucedidos e que mostram, também, como cada um se descobriu no desenho.


"São pessoas que nunca desenharam antes fazendo um trabalho e apresentando-o", diz ela. "A ideia foi selecionar junto a eles os projetos mais interessantes e com o qual eles se identificaram mais. Além disso, a exposição é uma forma de cada um ali ver o trabalho dos colegas de um outro jeito, proporcionando uma troca entre eles", completa ela.


A aluna Cynthia César é uma das que vai expor pela primeira vez seus trabalhos. "Acho que é um misto de orgulho e frio na barriga. Orgulho porque sei que caminhei bastante até aqui e frio na barriga porque acredito que expor é sempre se abrir para críticas e avaliações".


Frederico Valim, outro aluno do curso, já expôs trabalhos em outras duas ocasiões, mas conta que o desafio sempre existe, e que as aulas o ajudaram a criar métodos. "Eu desenho desde a infância, mas nunca havia realizado um curso com técnicas ou abordagens específicas sobre desenho e ilustração e vi no curso uma oportunidade de aprender mais e criar rotina para produção de desenhos duas vezes na semana", diz.


Cynthia conta um pouco mais do que será apresentado pela turma e por ela. “Na verdade, não existe um trabalho final. São vários trabalhos escolhidos ao longo do curso. Acho que são os que me senti mais à vontade ou que os que me identifiquei mais. Gostei muito dos desenhos de observação e de usar nanquim. Meu maior desafio está sendo aprender a trabalhar com as cores e com mixed media".


Já Alvim diz que pode aprimorar seu olhar sobre os processos de cores “e quis mostrar trabalhos em aquarela e nanquim sobre rostos e corpos”. “O maior desafio foi selecionar ilustrações, creio que o processo de seleção é meio catártico e nem sempre o olhar do artista na seleção de sua própria obra é necessariamente das melhores obras", comenta ele.


Todos os desenhos e ilustrações têm o papel como suporte, feitos com grafite, giz pastel seco, lápis de cor, nanquim, colagem, carimbagem, entre outros. Cada aluno vai expor, em média, cinco trabalhos. A exposição acontece apenas no dia 15, a partir das 14h.


A quem se interessar, as inscrições para as turmas de 2019, com início das aulas em fevereiro, já estão abertas.