Crédito: P2W foto e vídeo

Turma de direção de criação digital apresenta trabalhos feitos com mentoria de designers da Fjord

Um dos diferenciais da EBAC é criar uma proximidade entre os alunos e o mercado, trazendo profissionais para darem aulas ou fazendo mentorias com as turmas, para que os estudantes conheçam mais sobre a o dia a dia das agências e estúdios e os desafios com clientes e projetos em um contexto real.

A turma de especialização de Direção de Criação Digital, coordenada pelo professor Chico Adelano, passou por essa experiência neste ano. Para o trabalho final, apresentado dia 19, os alunos contaram com a mentoria de um grupo de designers da Fjord, empresa global de design digital e especialista no design de serviços. 

A empresa apresentou aos alunos um desafio de experiência de contratação para o mercado criativo e ofereceu também mentoria, ajudando os estudantes durante o desenvolvimento no trabalho. "Dividimos a mentoria em três sessões. Numa primeira sessão a gente apresentou a eles o desafio, tirou dúvidas e ajudou no planejamento inicial. Depois auxiliamos na parte de pesquisa, análise e identificação de oportunidades e, no terceiro momento, ajudamos no desenho da solução em si", conta Andrey Varella, business designer na Fjord.

O briefing apresentado pela empresa exigiu análise e criatividade dos alunos, segundo o professor. “Essa ideia é bastante relevante porque leva os alunos a tentar resolver um problema da própria comunidade deles: como é que as empresas estão procurando talentos cada vez mais únicos e como esses talentos estão se formando agora, e como é que esse ponto de encontro (empresa-talento) pode existir”, comenta ele.

“O briefing era bem amplo até mesmo para provocar a necessidade de identificar o problema principal e priorizar qual é o desafio mais interessante do aspecto do design. Era focado em como uma empresa consegue atrair, fazer o processo de contratação e de adaptação desse novo contratado, com os desafios que hoje o mercado e os clientes possuem. Mas, mais importante que a apresentação final é o processo. Estamos mais preocupados em como a solução é desenvolvida, no processo criativo e no racional por trás das escolhas de design que os alunos tomaram”, diz Andrey.

3 GRUPOS, 3 PROPOSTAS

A solução a ser criada tinha dois grandes desafios: como atrair pessoas mais talentosas para a Fjord e como prover uma experiência agradável para o contratante e para o contratado. Na apresentação, a turma se dividiu em três grupos, cada um com uma proposta diferente. Um grupo trouxe uma solução B2B, para ser ofertada para o RH das empresas e onde eles usam gamificação para encontrar perfis mais adequados para as vagas, com base nas características que a função exige.

O segundo grupo apresentou uma solução para aumentar a atratividade da Fjord. “Eles entenderam que essa atratividade passar por dar visibilidade da Fjord. Apesar de ser uma marca global, a empresa ainda é pouco conhecida no Brasil dentro da comunidade de designer digitais”, explica Adelano. O grupo criou uma plataforma lúdica para as pessoas descobrirem talentos e aptidões para outros cargos e, assim, se candidatarem para tal função.

O último grupo trabalhou uma solução mais focada em quem está começando a carreira ou em transição. Para isso, a proposta foi criar um aplicativo que ajudaria as pessoas a entrarem numa jornada de desenvolvimento para uma função específica. O engajamento nessa jornada é o que qualificaria o usuário a realizar encontros presenciais na empresa, pegar freelas, fazer vários tipos de trabalhos até, quem sabe, ser contratado no futuro.

Para Lucas Velloso, 21, designer na Ingresse, um dos alunos da turma, o grande desafio do projeto foi tempo. “Entender o problema, encontrar uma solução e prototipar algo não é rápido, mas esse desafio principal está totalmente alinhado com o mercado em que atuamos. Apesar de tudo fiquei bem surpreso com o resultado final e feliz com o feedback positivo da banca”, diz ele, que considera um diferencial poder trabalhar com propostas em um contexto real.

"Ter a possiblidade de solucionar problemas reais é colocar em prática tudo que aprendemos dentro da sala de aula e ver a teoria tomando forma. Além de ser uma boa oportunidade para errar, raramente o cliente se importa em dar um feedback construtivo", completa ele.

ALUNOS X MERCADO

Andrey destaca a troca entre os profissionais e os alunos como o ponto mais importante deste trabalho. “Ter essa oportunidade de troca gera muito aprendizado para todos os lados, tanto para os alunos como para os mentores. Esse ponto é o mais relevante: como a gente gera discussões com perspectivas diferentes que sejam ricas e no final gerem valor para todos os participantes”.

“Temos alunos empregados na IBM, no Itaú, alunos que tem sua própria empresa, mas é muito importante essa troca de experiências e discutir o que está sendo demandado pelas grandes marcas”, completa Adelano.

Para quem se interessar, as inscrições para a turma de Direção de Criação Digital de 2019 já estão abertas. Mais informações na página do curso.
Da esquerda para direita: Thiago Cassola Pronunciato, Danilo Marcondes, Thássya Macedo, Chico Adelano, Jaakko Tammela e Andrey Varella. Crédito: P2W foto e vídeo