4 apostas para o mercado de games em 2019

O Brasil já é destaque no número de jogadores (somos o 3º maior mercado do mundo, com mais de 60 milhões de gamers). O faturamento e o número de estúdios também estão em ascensão.

O levantamento mostra que entre 2013 e 2018 o número de estúdios de desenvolvimento de games no país passou de 142 para 375. Desde 2016, um total de 1.718 jogos foram produzidos por aqui.

Com todos esses resultados, 2019 parece ser um ano promissor. Pensando nisso, o designer de games e professor do BA (Hons) 3D Games Art and Design, Gilles Pedroza Leite, listou 4 apostas para esse segmento no ano. Será que vão vingar? Confira:

1.jpg

MAIS JOGOS DIGITAIS

“O mercado internacional de games em breve se focará somente em jogos digitais devido à alta capacidade de armazenamento em HDD e internet rápida. Além disso, seguindo a margem do ano de 2017 para o ano de 2018, houve um acréscimo de quase 1 bilhão em vendas de jogos digitais”.

Em 2017, a venda de jogos digitais subiu 12% no Reino Unido (dados do Entertainment Retailers Association). Nos EUA, as vendas digitais já representam 74% do mercado de jogos, segundo relatório da Entertainment Software Association. Já do ponto de vista das empresas, a tendência segue: números da Sony dos primeiros meses de 2018 indicam que as vendas de jogos digitais para PlayStation já eram 43% do total.

vr.jpg

VR GANHANDO ESPAÇO

“Com a vinda do Oculus Quest e do Vive Gear, o mercado de jogos para VR (realidade virtual) se tornará mais atrativo e popular, principalmente ao baratear as versões anteriores”.

Para quem se perdeu no tempo, essa é a aposta do Facebook para um headset de realidade virtual. O foco são os games. O produto sem fio e wireless deve chegar às lojas ainda no primeiro semestre de 2019 e promete fazer barulho resolvendo antigos problemas dessa tecnologia. O preço: US$ 399.

3.jpg

NOVA JOGABILIDADE À VISTA?

“Com o advento do machine learning e da AI (inteligência artificial), os jogos mudarão sua jogabilidade para atender essa nova tecnologia e isso proporcionará novas experiências ao jogador, tornando seus atos mais relevantes dentro do jogo”.

Se você usa serviços como Netflix, Spotify, Waze, por exemplo, já tem uma amostra de como funciona o Machine Learning. Ela está à frente, entre outros, das recomendações personalizadas que esses apps fazem para você. A previsão é que as desenvolvedoras de games apostem mais nessa tecnologia neste ano.

4.jpg

MENOS E MELHORES ESCOLAS

“No Brasil ocorreu um crescimento muito grande no desenvolvimento de jogos, com diversas faculdades proporcionando cursos de graduação em jogos. Ocorreu um hype nessa área, entretanto, sem estrutura de mercado para tal. Em 2019 deve haver uma queda no número de cursos e adesões nas escolas sobrando aquelas que se destacarem no mercado”.

O Brasil é o 13º maior mercado de games do mundo, segundo dados da consultoria Newzoo, movimentando cerca de US$ 1,5 bilhão por ano. Num mercado rentável, há muitos profissionais interessados. No entanto, experiência e conhecimento são diferenciais.

***

Aqui na EBAC você encontra cursos para se profissionalizar nessa área. São programas de graduação, especialização e iniciação para quem sonha trabalhar com games e fazer parte desse mercado promissor. Confira abaixo quais são eles:

Graduação - Bacharelado Britânico:

BA (Hons) 3D Games Art and Design
Preparatório para Graduação: Pre-Foundation
Preparação de Portfólio

Especialização:
Animação, VFX, Games e VR: avançado

Iniciação:
Computação Gráfica: Fundamentos