Vamos Juntas: alunos da EBAC criam APP para a segurança das mulheres

Que tal um aplicativo para ajudar mulheres a andarem juntas e com mais segurança pelas ruas de São Paulo, por exemplo? Essa é a ideia do APP Vamos Juntas, criado por dois alunos do curso de Direção de Criação Digital da EBAC, Franciey Charleaux e Miguel Ventura

Notícias diária sobre casos de violência contra mulheres levaram a dupla a se questionar sobre a existência de produtos digitais que ajudem as mulheres em situações perigosas em seus trajetos diários. Daí nasceu o APP, que conecta mulheres que trafegam pela mesma localidade diariamente a se unirem e realizarem esse trajeto juntas. Ele também oferece histórico de ocorrências e um mapa de perigo mostrando a rota mais segura.

Agora, eles comemoram a entrada no programa de semi-incubação Pense Grande, da Fundação Telefônica Vivo. Foram mais de 600 projetos inscritos. Desse total, 180 foram selecionados. Depois, 40 passaram para a fase de semi-incubação, entre eles, o Vamos Juntas. Serão dois meses desenvolvendo o APP e o plano de ação e vendas.

Estamos com consultoria e acompanhamento de profissionais de negócios para tirarmos o projeto do papel. Passando dessa fase iremos para um momento de investimento financeiro", diz a aluna. Após esse período, 30 projetos serão escolhidos para ficar sete meses na incubação.

Para quem está no mesmo caminho de apresentar ou vender um projeto, Franciely dá uma dica: "Estruture bem o seu projeto e tenha foco. Você vai ter que correr atrás de várias coisas em pouco tempo, então se organize e tenha claro quais são as 'entregáveis' de cada etapa".

Do desastre ao projeto ideal

A dupla se conheceu na EBAC e criou o projeto durante as aulas de UI com o professor Lincoln Soares. O trabalho foi duro. A apresentação do projeto “foi um desastre” e eles tiveram que redesenhar as telas e criar uma estratégia para viabilizá-lo. Mas toda essa jornada foi o que fez o APP sair do papel.

“Demoramos a chegar na concepção perfeita do projeto, pois queríamos criar algo que realmente gostávamos, assim, desenvolvemos um branding totalmente focado à luta feminista na rua. O efeito de borrado predominantemente no projeto é baseado no 'tremor' (reação biológica que ocorre quando as mulheres estão expostas a situações de perigo), as cores são totalmente diferentes das que vemos em APPs e o logotipo foi inspirado na artista plástica Mana Bernardes", conta Franciely.

“Hoje, o nosso objetivo é colocá-lo na rua, e as mulheres realmente usarem isso como melhoria em sua vida, para que tenhamos menos casos de assalto e abusos”, diz Miguel.

Telas - Vamos Juntas.png
Telas do aplicativo Vamos Juntas

Professores parceiros e mudança na carreia

Os alunos destacaram muito a participação do professor Lincoln Soares para que a ideia do APP fosse adiante. “Com críticas sempre construtivas, nos fez sair da zona de conforto, e chegarmos na ideia perfeita. Ele até hoje, nos acompanha com sábios conselhos, indicações e orientações. Ele acreditou na ideia desde o início, e essa sensação de construirmos juntos fez total diferença. Foi mais que uma aula, foi uma parceira”, diz Franciely.

Essa proximidade com professores e as aulas focadas no que vemos hoje no mercado foram alguns dos atrativos do curso. Miguel estava em busca de alguma especialização para se aprofundar na área de UX e aprender o que o mercado estava buscando. "O método me chamou muito atenção por ser algo focado em gerar resultados. Tudo que aprendemos gerou resultados quase que instantâneos como, por exemplo, alguns alunos que mudaram de emprego no meio do curso ou foram entrevistados por grandes empresas", conta ele.

Para Franciely, o que mais a interessou foi a forma prática de ensino da escola. "Conseguia entender de forma clara e simples os conteúdos e aplicá-los rapidamente no meu dia a dia. Os professores foram outro grande diferencial, são grandes nomes do mercado que conseguimos estar com eles e nos tornarmos até mesmo amigos".

No caso dela, houve um impacto direto na sua carreia após o curso. “Eu trabalhava como Diretora de Arte em uma agência de FullCommerce. No curso, eu abri totalmente a minha mente sobre as inovações do mercado. Eu me reposicionei como UX, hoje sou UX na Serasa Experian, e tudo que faço diariamente em questão de negócios, estratégia e criação tem influência direta com o aprendizado na EBAC”.

***

Os alunos da EBAC têm a oportunidade de aprender com os melhores profissionais do mercado. Aos que se interessam em se profissionalizar em algumas das áreas da economia criativa, como arte, design, computação gráfica e audiovisual, a EBAC oferece as melhores oportunidades de aprendizado. Confira mais informações sobre nossos cursos:

Especialização

Direção de Criação Digital
UX/UI