4 vezes em que o VFX roubou a cena em Stranger Things 2

Depois do sucesso da primeira temporada, os produtores Paul e Christina Graff tiveram que sentar e quebrar a cabeça para resolver um dilema: como tornar possível todas as ideias dos irmãos Matt Duffer e Ross Duffer, as mentes por trás do programa, para a segunda temporada de Stranger Things. Não foi uma tarefa fácil. O salto do uso de efeitos visuais entre uma temporada e outra é nítido.

Em entrevista à revista Vulture, os produtores contaram as histórias por trás dos efeitos: de fofo-mas-nem-tão-fofo Dart ao final alucinante. Na contagem regressiva para a estreia da 3ª temporada, que volta dia 4 de julho, a gente relembra momentos em que os efeitos visuais fizeram diferença no ano 2 da série.

Mundo invertido gif 6.gif

1. OS ESPOROS DO MUNDO INVERTIDO

Na temporada passada o Mundo Invertido é infestado por uma chuva de esporos flutuantes em formato de esferas, tudo feito em efeito CGI. "Tentamos obter esporos reais, mas eles só funcionavam em circunstâncias especiais. E as crianças não ficaram muito animadas em passar um dia inteiro com todos esses flocos voando entre eles, então eu diria que 90% dos esporos que você vê no show são esporos digitais. Talvez até 98%”, revela Paul Graff.

strange3.jpg

2. O NEM TÃO FOFO DART

Quem não se lembra do momento em que Dustin encontra um animal parecido com um girino na lata de lixo? O bicho parece fofinho, mas revela ser um Demogorgon, um monstro do Mundo Invertido. E como foi criar esse pequeno-grande monstrinho?

"Os Duffers queriam mostrar a evolução do Dart de um estado de girino com apenas uma cauda e duas extremidades para o tamanho de um cão", disse Paul Graff, explicando que antes das gravações começarem os diretores já tinham todo o ciclo de vida de Dart planejado.

strange1.jpg

A equipe trabalhou com empresas especiais de efeitos visuais para desenvolver os vários estágios da vida de Dart, projetando os sistemas de órgãos internos ao lado do exterior do bicho, já que ele é semitransparente em boa parte de sua vida. Assim, a ideia era mostrar que ele tinha características de um Demogorgon antes das crianças descobrirem que havia algo de errado com ele. E apesar de lembrar um girino, o Dart foi desenvolvido para ser um mistério, e não parecer com nenhum animal específico.

strange-4.jpg

3. O MONSTRO DAS SOMBRAS

O que não faltou no primeiro ano foi o que podemos chamar de distúrbios elétricos: das luzes de casa às de Natal sempre piscando. Para os produtores, era uma pista do que viria.

"O Monstro das Sombras (o vilão da 2° temporada) está de alguma forma ligado a toda essa energia, e então nós determinamos que ele seria uma nuvem ou tempestade. Tivemos conversas também com o desenhista de produção, Chris Trujillo, e procuramos por muitas referências a tempestades, nuvens e tornados", conta Christina Graff.

O desenhista encontrou tipos de erupções vulcânicas com tempestades de raios em algum lugar da América do Sul onde há esse tipo de nuvem cinzenta com um raio que sai da nuvem e depois atinge a nuvem novamente.

strage5.jpg

Paul disse que uma das cenas mais trabalhosas foi a do ataque a Will no episódio 4, quando o Monstro das Sombras entra no corpo do garoto. A câmera dá a volta em Will enquanto Joyce tenta trazê-lo de volta. A cena intercala imagens do mundo real e do Mundo Invertido.

Paul Graff explicou a cena: “Tivemos que andar com a câmera em círculo e precisávamos sempre da tela verde do outro lado". A solução foi montar um trilho circular com várias câmeras usando o dolly.

“Corremos ao redor de Will e, na câmera, havia uma tela verde, mas havia 20% ou 30% da cena onde ainda se podia ver o fundo real”, disse Paul. Dessa forma, a equipe pode inserir o monstro entre Will e o plano de fundo e trazer a perspectiva de Joyce.

strange2.jpg

4. O CONFRONTO FINAL

A batalha final de Eleven com o Monstro das Sombras foi filmada no estúdio para que a equipe de efeitos visuais pudesse adicionar o enorme portal que divide a cidade de Hawkins de Mundo Invertido. "Nós sabíamos que seria algo como 150 pés, 200 pés de altura e 70 pés de diâmetro”, disse Paul Graff.

tumblr_phyfr5GpPl1uzatlso1_r2_540.gif

Para fazer com que o ambiente parecesse perfeito, a equipe levou muito tempo planejando a iluminação ideal para a batalha. Quando o monstro se torna mais ameaçador, a fenda brilha, enquanto Eleven também dispara uma luz branca em direção ao monstro. Foi o único ambiente totalmente CG da temporada, com uma gaiola suspensa no estúdio dentro de uma estrutura à prova de som e mais três paineis de tela azul em ao redor.

***

A EBAC sempre atenta e acompanhando as tendências do mercado criativo, têm os cursos certos para quem sonha em trabalhar com animação, edição de filme, efeitos visuais, realidade virtual, entre outros. Confira quais são os cursos que ofereceremos nessas áreas:

GRADUAÇÃO

Year Zero: Computer Graphics and Film Production
BA (Hons) 3D Computer Animation & Modelling
BA (Hons) 2D Animation & Character for Digital Media
BA (Hons)Visual Effects for Film and TV

ESPECIALIZAÇÃO

Edição de Filmes
Motion Design
Cinematografia para Filmes e Séries
Roteiro para Filmes e Séries
Digital Imaging Technology (DIT)

INICIAÇÃO

Computação Gráfica: Fundamentos
Preparatório para Graduação: Pre Foundation
Audiovisual: Fundamentos