A relevância do design de interiores para o mundo em que vivemos

O curso de Design de Interiores, coordenado por Bruno Simões, foi um dos primeiros programas a sair do papel junto com a inauguração da EBAC no Brasil, em 2016. Pensando no propósito humano de trazer um pouco de nós para um ambiente físico e respondendo à pergunta de como tornar a disciplina de interiores relevante, Bruno Simões criou o curso de Design de Interiores da EBAC e escreveu um manifesto sobre de que forma é possível criar um olhar único e autoral, mas ao mesmo tempo que fosse competitivo para o futuro criativo.

sesc.jpg

O manifesto contempla a busca de Simões na elaboração da metodologia do programa, que pretende principalmente romper a relação entre interiores e decor baseado em conceitos fundamentais para o desenho de um bom ambiente, como luz, cor, materialidade, natureza e sentidos. Em um dos trechos do documento, Bruno explica: “Solucionar um espaço não é resolvê-lo esteticamente seguindo padrões ou vícios de mercado. É investigá-lo, entendê-lo e transformá-lo, deixando um pouco de si no processo e também criando espaço para o OUTRO”.

obra1.jpg
Obra na praça Edgar Thomaz homologada como patrimônio cultura de SP / Trabalho da aluna Verônica Einloft.

Desde sua criação até hoje, duas turmas já se formaram e outras duas se formarão ano que vem. Desses alunos que estiveram conosco, pudemos deixar um pouco da gente na história deles, assim como eles deixaram com a gente um pouco de suas histórias. Algumas dessas experiências incríveis já contamos por aqui, como a da arista plástica Verônica Einloft, ex-aluna do curso de Design de Interiores, que deu uma guinada na sua carreira e mudou totalmente de ares redescobrindo a arte digital e transformando suas projeções em esculturas sustentáveis que ganharam o mundo.

Para ter acesso ao material na íntegra, clique aqui.